{{ warning.message }} Ver detalhes
PBA -  Bisfenol A - Afinal, o que isso pode impactar na sua vida?
[editar artigo]

PBA - Bisfenol A - Afinal, o que isso pode impactar na sua vida?

Bisfenol A

O que é?

Bisfenol A ou BPA, foi inventado pelo químico russo Aleksandr Dianin em 1891.

É um difenol, utilizado na produção do policarbonato de bisfenol A, o policarbonato mais comum, e de outros plásticos. A substância é proibida em países como Canadá, Dinamarca e Costa Rica, bem como em alguns Estados norte-americanos, mas no Brasil era utilizada na produção de garrafas plásticas, mamadeiras, copos para bebês e produtos de plástico variados, sendo proibida apenas ao final de 2011, com prazo até ao final de 2012 para a retirada do produto das prateleiras e estoques.

De que forma ele esta presente em nossas vidas no dia-dia?

Muitas das embalagem e utensilhos que usamos no dia-dia contém o Bisfenol A (PBA) em sua composição, embora esteja na concentração permitida pela legislação, a soma de todas as embalagem que usamos em nosso dia-dia é que vem causando preocupação, pois com isso estamos constantemente sendo contaminado.

Observe como o bisfenol A esta presente em nossas vidas, esses são alguns dos item do nosso dia-dia:

Uma prática muito comum é reutilizarmos embalagens para guardar sobras de comida ou mesmo congelar alimentos e em outra altura, aquecemos ou descongelamos o alimento no microondas nessa mesma embalagem.

Quando tomamos bebidas quentes, tais como cafezinho, chocolate quente, etc em copos descartáveis ; mamadeiras de plástico; Embalagens plásticas para acondicionar alimentos na geladeira (marmitas, jarras de água, etc); formas de plástico para microondas; utensílios de plástico para o lar; pratos e talheres de plástico (inclusive os infantis), materiais médicos e dentários; nos enlatados, como revestimento interno (inclusive de refrigerante, leite em pó ou comidas enlatadas); em garrafas plásticas reutilizáveis de água (especialmente tipo squeeze); embalagens e/ou garrafas de plástico de água mineral, refrigerantes, sucos e líquidos em geral; brinquedos de plástico (os quais devem ser evitados sobretudo por crianças);garrafões de plástico de 20 litros, muito comum nos atuais bebedouros de água mineral; eletrodomésticos, tais como panelas de vapor de plástico, liquidificador, etc...

A relação acima está longe de ser completa.

Não é incomum, a propósito, que o Bisfenol A deixe de ser indicado na composição química de um determinado produto industrial, especialmente quando é misturado (ou entra como subproduto) em sua composição química.

Quais os riscos e consequências  traz para a nossa saúde e de nossa família?

Desregulador endócrino

Mal funcionamento da tireóide

Problemas neurológicos

Hiperatividade, déficit de atenção.

Câncer de mama

Crescimento da próstata

Disfunções sexuais e no sistema reprodutor e comportamento sexual de ambos os sexos

Síndrome do Ovário Policístico

Em resumo: o principal malefício do plástico fabricado com Bisfenol A vem a ser o aumento da circulação, no sangue humano, de um produto químico semelhante (isto é, bioidêntico) ao hormônio feminino. Consequentemente, o desequilíbrio hormonal gerado pela contaminação com Bisfenol A afeta tanto homens quanto mulheres, ocasionando profundas alterações na saúde hormonal, reprodutiva e comportamental de ambos os sexos.

Afeta o coração de mulheres, danifica de forma irreversível o DNA de camundongos e ratos e está entrando no corpo humano por uma variedade de fontes desconhecidas.

Provoca aborto, prematuridade, restrição ao crescimento intrauterino e pre-eclampsia. Impacta a permeabilidade intestinal. Induz a asma.

Símbolos existentes nas embalagens de plástico

Os recipientes que poderão conter bisfenol apresentam o símbolo 3 e 7. Os recipientes que têm o símbolo com um 6 estão associados a problemas no fígado e rins. Pode libertar estireno.

Legislação:

Por precaução, alguns países, inclusive o Brasil, optaram por proibir a importação e fabricação de mamadeiras que contenham Bisfenol A, considerando a maior exposição e susceptibilidade dos indivíduos usuários deste produto. Esta proibição está vigente desde janeiro de 2012 e foi feita por meio da Resolução RDC n. 41/2011. Assim, mamadeiras em policarbonato não podem ser comercializadas no Brasil.

Para as demais aplicações, o BPA ainda é permitido, mas a legislação estabelece limite máximo de migração específica desta substância para o alimento que foi definido com base nos resultados de estudos toxicológicos.

Fontes:

http://portal.anvisa.gov.br/alimentos/embalagens/bisfenol-a

https://pt.wikipedia.org/wiki/Bisfenol_A

http://bisfenola.wixsite.com/bisfenol-a

Claudia Rak

Claudia Rak

Dra. Farmacêutica - Nutrinova Pharma

Fique informado sobre as novidades da comunidade
Cadastre-se aqui
Gostou desse artigo? Escreva o seu também!
Novo post